Trabalhar com TI na Irlanda: A hora é agora!

Incluir no currículo uma experiência de trabalho no exterior é o sonho de muitos brasileiros. Se a vaga for na área de atuação, em uma multinacional, melhor ainda. Os olhos brilham, o coração palpita e os planos de desvendar o mundo começam a tomar conta dos pensamentos. E aí? Qual é o próximo passo? Se você trabalha com TI, a hora é agora. A área de Tecnologia da Informação está a pleno vapor e trabalhar com TI na Irlanda pode lhe render desde um ótimo estágio até o tão sonhado work permit – o visto de trabalho.

De acordo com o site Tech Life Ireland, a Irlanda é um pólo que atrai e retém talentos. Isso porque a indústria tem crescido de maneira contínua nos últimos anos, com cerca de 80 mil pessoas trabalhando com TI no país e previsão de 8 mil novas vagas por ano.

trabalhar com TI na Irlanda
Empresas de TI com sede em Dublin – Irlanda

Isso significa que muitas habilidades e especializações estão em alta e a sua experiência será valorizada por estas bandas. A depender da área, é possível escolher em qual grande empresa você quer trabalhar. Não faltam oportunidades de avançar na carreira até um nível de liderança e coordenação. Como se já não fosse bom o suficiente, ainda dá para aprimorar o inglês cada vez mais e aproveitar todas as vantagens de viver na Irlanda.

Ainda parece um sonho distante? Os estudantes da SEDA College têm a oportunidade de obter experiência de trabalho internacional e conquistar referências irlandesas através do Programa de Estágio SEDA. A inscrição no Programa de Estágio é gratuita para todos os estudantes matriculados em um curso de longa duração. As posições de estágio estão disponíveis nos mais diversos setores: TI, marketing, vendas, administração, hospitalidade, media, design, arquitetura, atendimento ao consumidor, engenharia, contabilidade e outras áreas.

Conversamos com quatro alunos que passaram pelas salas de aula da SEDA College e eles compartilharam detalhes de suas experiências de sucesso em diferentes áreas da TI, na Irlanda. Confira! 🙂

Daniel Martins, 30 anos – Betim/MG

Get more info about exchange programs in Ireland

Há quanto tempo está na Irlanda?
2 anos e 6 meses

Qual a sua área dentro de TI?
Trabalho como consultor de CRM, mais especificamente com o software Microsoft Dynamics CRM

Como foi o seu percurso até chegar ao visto?
Comecei na empresa como estagiário por um período de 1 mês (não remunerado), minha intenção era obter alguma experiência na minha área antes de retornar ao Brasil para enriquecer o meu currículo. Durante este mês me envolvi em diversos projetos da empresa e me foi oferecida uma extensão do contrato (agora remunerado) por mais 4 meses, ou seja, até o fim do meu visto de estudante (que eu não pretendia renovar pois queria retornar ao Brasil para não ficar muito tempo afastado do mercado de trabalho).

Durante este período extendido do estágio fui me envolvendo em mais projetos e, também, conversando com alguns colegas que ja possuíam o visto de trabalho pela empresa para entender melhor o processo. Quando faltava pouco mais de um mês para o contrato de estágio terminar, me sentei com o dono da empresa e perguntei da possibilidade de aplicarem para o meu visto. Após algumas conversas dele com meu supervisor direto, decidiram por me oferecer um contrato para que eu pudesse aplicar para o work permit.

Quanto tempo demorou para tirar o visto? O processo foi burocrático?
O processo foi bem simples e rápido. Quando assinei o contrato o DJEI (Department of Jobs, Enterprise and Innovation), departamento que cuida das permissões de trabalho na Irlanda, estava mudando o processo para digital. Isso atrasou um pouco para eu poder enviar os documentos, já que ficaram algumas semanas sem receber nenhuma solicitação. Porém, assim que o sistema migrou para online enviei todos os documentos e em uma semana o work permit já estava aprovado. Depois disso foi só marcar para ir ao GNIB pegar o visto novo.

Uma coisa que me ajudou muito foi que quando saí do Brasil, decidi trazer comigo o máximo de documentos já traduzidos em relação a minha trajetória acadêmica e profissional, como diploma, histórico da faculdade; e também, logo que cheguei, já validei meu diploma aqui na Irlanda. Não é algo obrigatório, e a tradução dos documentos pode ser feita aqui. Mas, já ter tudo isso em mãos facilitou bastante meu processo.

Você passou pelo programa de estágio da SEDA? Nosso programa de estágio foi útil em sua jornada?
Sim, e o programa de estágio foi fundamental pra que eu conseguisse me colocar nessa empresa. Toda minha jornada até o visto começou pelo período de estágio proporcionado pela parceria da empresa com a SEDA. Passei por entrevistas em 3 empresas e o Victor, responsável pelo programa de estágio da SEDA, me deu toda orientação e foi quem me direcionou para a empresa que precisava de um profissional com características mais próximas ao meu perfil. Sem isso eu provavelmente não teria conseguido chegar até o visto de trabalho, e nem mesmo a um estágio que casou tão bem com minha experiência profissional prévia.

Como você avalia o mercado de TI na Irlanda?
É um mercado em constante expansão e com inúmeras oportunidades, visto que Dublin é um dos pólos de TI na Europa, abrigando as sedes europeias de muitas das maiores empresas de tecnologia do mundo como Google, Facebook, Oracle, e muitas outras. Isso também cria um ambiente favorável pra empresas menores, o que amplia as chances para os profissionais. Além desse panorama geral, pesa em favor dos profissionais estrangeiros o fato de Dublin ser uma cidade totalmente cosmopolita, portanto acostumada e lidar com pessoas com backgrounds culturais dos mais diversos, o que reflete diretamente nas empresas. Tudo isso junto ajuda, e muito, na colocação do profissional estrangeiro no mercado.

Você tem alguma dica para quem é da área de TI e quer vir para a Irlanda?
Minha primeira dica é que aqueles que ainda não terminaram a faculdade e tem intenção de vir para tentar se colocar no mercado local, termine o curso antes de vir. A Irlanda tem uma modalidade de aplicação visto de trabalho chamada “critical skills”, foi através dessa modalidade que consegui meu visto. O objetivo dessa modalidade é facilitar para as empresas a contratação de profissionais qualificados em diversos setores (sendo TI um dos principais), sem a necessidade de abrir essa vaga ao mercado local ou dar prioridade a irlandeses e/ou outros europeus. E a razão pela qual mencionei o curso superior é que essa é uma das exigências em relação ao profissional para ser elegível a esse tipo de visto.

Outra dica tão importante quanto à primeira é o foco nas aulas. Não adianta sair correndo tentando conseguir entrevistas em várias empresas sem antes ser capaz de se comunicar em inglês, sem falar que não frequentar as aulas é motivo para a perda do visto, e o fim dos planos.

 

Max Danielton Costa de Alencar, 29 anos – Brasília/DF

Há quanto tempo está na Irlanda?
Estou há 2 anos na Irlanda.

Qual a sua área dentro de TI?
Desenvolvimento de Software.

Como foi o seu percurso até chegar ao visto?
Eu iniciei como estagiário em uma startup, após alguns meses e equipe uniu com outra startup e me levaram junto, após um período comecei a trabalhar em outra startup mantendo 2 estágios entre as entrevistas de praxe para conseguir uma posição permanente, felizmente minha segunda empresa me efetivou e patrocinou o visto de trabalho.

Quanto tempo demorou para tirar o visto? O processo foi burocrático?
Demorou bastante, quase 3 meses, o processo não foi muito burocrático, simplesmente preenchi o formulário, anexei os documentos necessários e só tive que aguardar, único problema foi a espera pois apliquei no final do ano e acho que o departamento de trabalho entrou em recesso e meu visto de estudante chegou e expirar, então eu tive que solicitar uma extensão de visto antes de conseguir o permanente, mas no final deu tudo certo.

Como você avalia o mercado de TI na Irlanda?
Eu diria que é o melhor setor atualmente, existem diversas vagas abertas em todas as áreas no mercado de TI principalmente na área de desenvolvimento de software.

Você tem alguma dica para quem é da área de TI e quer vir para a Irlanda?
Eu aconselho a virem preparados financeiramente para poder focar nos estudos e preparar para os processos seletivos, proficiência na língua inglesa é fundamental e estejam abertos a aprender novas tecnologias, eu por exemplo sempre trabalhei com Java no Brasil e aqui na Irlanda trabalho com Golang.

Marcelo Colonia, 40 anos – Floripa/SC

Há quanto tempo está na Irlanda?
1 ano e 10 meses

Qual a sua área dentro de TI?
Sou Desenvolvedor de Software especializado em tecnologias Microsoft

Como foi o seu percurso até chegar ao visto?
Comecei a trabalhar part-time em uma empresa e nesse meio tempo apliquei pro work permit.

Quanto tempo demorou para tirar o visto? O processo foi burocrático?
Demorou cerca de 1 mês. O processo é até simples, mas foi um pouco demorado.

Você passou pelo programa de estágio da SEDA? Nosso programa de estágio foi útil em sua jornada?
Passei sim, e foi bastante útil. Não apenas pelo aprendizado de novas tecnologias, mas experiência de trabalhar na minha área em um outro pais fez toda a diferença.

Como você avalia o mercado de TI na Irlanda?
Excelente. Oportunidades não faltam pra quem tem o mínimo de experiência.

Você tem alguma dica para quem é da área de TI e quer vir para a Irlanda?
Pode soar meio óbvio, mas em primeiro lugar focar em aprender o idioma. A entrevista de emprego é uma negociação, e como tal você precisa convencer a outra pessoa de que você é a escolha certa. Se já é tenso fazer isso no seu país imagine em outra língua.

De uma geral no seu perfil do LinkedIn – a plataforma é largamente utilizada aqui na Europa. Até hoje recebo ofertas de trabalho semanalmente por ali.

Aconselho muito participar do programa de estágio da SEDA. Mesmo não sendo remunerado (como foi o meu caso) a experiência adquirida não tem preço e só vai te trazer benefícios – além de uma carta de recomendação.

Ouvi pessoas aconselhando mandar currículos diretamente para empresas e evitar agentes de emprego – os famosos headhunters – que no geral só te fazem perder tempo. Eu discordo. Apesar de muitos headhunters darem preferência a profissionais que possuem passaporte europeu ou STAMP 4 (não é meu caso), as dezenas de entrevistas telefônicas serviram pra quebrar o gelo, melhorar meu inglês, e de quebra me deram experiência em ser entrevistado. Com o tempo você meio que já prevê o que vão te perguntar e tudo fica muito mais fácil.

Luis Marcos, 28 anos – Brasília-DF

Há quanto tempo está na Irlanda?
Cerca de 6 meses.

Qual a sua área dentro de TI?
Trabalho com programação e estou migrando pra segurança.

Como foi o seu percurso até chegar ao visto?
Meu primeiro objetivo foi conseguir um estágio para entender como eles trabalham aqui e fazer alguns contatos. Depois disso foi só questão de aprender e mostrar que eu queria trabalhar.

Quanto tempo demorou para tirar o visto? O processo foi burocrático?
Como o processo mudou tem pouco tempo, está um pouco (muito) mais demorado. Entretanto, eu acho que com o passar dos meses eles vão amadurecer o processo e as coisas vão ser mais rápidas.

Você passou pelo programa de estágio da SEDA? Nosso programa de estágio foi útil em sua jornada?
Sim. MUITO. Apesar de estar aplicando para o visto em uma empresa que não foi a do estágio, as pessoas que conheci lá e o que aprendi fez valer a pena.

Como você avalia o mercado de TI na Irlanda?
É um mercado em expansão e tem uma boa quantidade de vagas. Se chegar já com experiência nas tecnologias que estão na crista da onda, ou bagagem em coisa muito utilizada, é garantia de sucesso.

Você tem alguma dica para quem é da área de TI e quer vir para a Irlanda?
Comunicação. O pessoal geralmente vai querer fazer um test drive antes de contratar e se a pessoa não for comunicativa nem humilde, pode ter alguns problemas para encontrar emprego.

Se você era um(a) adolescente com interesse em tecnologia, provavelmente sempre ouvia dos mais velhos que era melhor largar “esse computador” e estudar para ser alguém na vida. Bem, parece que o jogo virou, não é mesmo? 🙂

Quer vir estudar na SEDA e aumentar suas chances de conseguir um emprego no exterior? Envie-me um email: savana@seda.ie 

O Grupo SEDA conta com a SEDA IntercâmbiosSEDA CollegeSEDA MBASEDA Hub, SEDA Live e  SEDA College Online, clique e conheça!

ARTIGOS RELACIONADOS